Quinta-Feira, 26 de Maio de 2022 |

SIMA

Por valorização e pelo Piso do Magistério, assembleia presencial, no dia 23/03

Por Redação em 18 de Março de 2022


O reajuste de 33,24% no Piso Salarial do Magistério de 2022 tem sido conquistado com atos, paralisações, mobilizações e greve. Em todo o Brasil, educadores foram às ruas, no dia 16/03 para reafirmar a luta pela valorização da categoria e pelo cumprimento do Piso do Magistério. Em Alvorada, o SIMA organizou uma agenda que culmina na assembleia presencial de 23/03, convocada com indicativo de greve. Exigimos que o Governo Appolo cumpra a Lei 11.738, vigente desde 2008, que calcula o piso com base no crescimento percentual do Fundeb de dois anos anteriores.

JORNADA DA VALORIZAÇÃO - A diretoria do SIMA está empenhada em explicar às autoridade e também à coletividade sobre a urgência de valorizar os profissionais do ensino, através do pagamento do piso do magistério 2022 (R$ 3.845,63 e 1/3 de jornada extraclasse) em todas as redes escolares, assim como a regulamentação do piso salarial dos profissionais da educação (art. 206, VIII da Constituição Federal), valorização dos planos de carreira, contratações por concurso público e repúdio à terceirização na Educação.

No dia 15/03, Rodinei Rosseto, presidente do SIMA, ocupou a tribuna da Câmara Municipal e demonstrou aos vereadores que para atender a reivindicação dos professores, bastaria agregar mais R$ 304,03 nos vencimentos de cada educador. "Mas o Governo Appolo prefere gastar mais de R$ 300 mil na recepção da volta à aulas, que coincidiu com o aniversário da Secretária Neuza Machado", protestou o sindicalista.

No dia seguinte (16/03), os sindicalistas foram até a prefeitura em busca de entendimento, mas encontraram um ambiente hostil à reivindicação dos professores. Recebidos pelo vice-prefeito Valter Slayfer, o presidente do SIMA, Rodinei Rosseto, lembrou que, ao término da campanha salarial 2021/2022, o Secretário da Administração, Luiz Carlos Telles declarou que o Governo Appolo pagaria o piso nos termos da lei e que esse compromisso está registrado em ata.

GOVERNO FORA-DA-LEI

Porém, a reunião ficou tensa, pois Telles e Marcelo Machado, Secretário da Fazenda, insistiram que a administração municipal prefere seguir a orientação da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), que recomenda aos prefeitos que ignorem o índice de reajuste do Piso Nacional do Magistério anunciado pelo presidente da República, de 33,24%, mas apenas corrijam o valor pela inflação.

Uma sequência de ações truculentas motivou a suspensão do ato convocado pelo SIMA para o dia 16/03. O Gabinete do prefeito emitiu uma Comunicação Interna (CI) ameaçando com retaliações àqueles servidores que aderissem ao movimento e comparecessem à manifestação com corte do ponto e sem possibilidade de compensação.

Em resposta, o SIMA está convocando uma assembléia presencial para 23/03, às 18h, na sede da entidade, na Nova Americana. Uma lei votada, sancionada e vigente não pode ser revogada ou alterada pela administração pública. Em vez de tramar contra a justa reivindicação dos educadores, cumpra a Lei, Prefeito!

COMENTÁRIOS ()