Segunda-Feira, 18 de Outubro de 2021 |

Você Lembra?

1540 - DIEGO

Por Redação em 24 de Setembro de 2021

(Foto: Divulgação)


No futebol gaúcho ao correr dos anos tivemos vários irmãos gêmeos atuando na mesma equipe em posições diferentes. Como exemplo mencionamos Alex e Miguel zagueiros no Aimoré, Gildo e Gilberto atacantes no Novo Hamburgo, Luiz Alberto Pateta e Luiz Carlos Pateta, goleiro e zagueiro no Cruzeiro e Diogo e Diego, o nosso entrevistado nesta edição, meia cancha e ponteiro direito no Inter. Diego foi um excelente ponteiro direito que tem a hereditariedade no sangue. Ele e seu irmão são filhos do João Carlos, que foi um bom defensor que também jogou no Inter e foi Campeão Brasileiro em 1979.Diego de Lima Barcelos é natural de Porto Alegre, onde nasceu no dia cinco de abril de 1985. Iniciou suas atividades esportivas na base do Inter em 2001, onde se profissionalizou. Em 2003 estreou na equipe titular que formava com Clemer; Pedrinho, André Cruz, Fernando Cardoso e Chiquinho; Sangaletti, Claiton e Cleiton Xavier; Diego, Nilmar e André. Em 2004 a equipe colorada jogava com Clemer; Bolivar, Sangaletti, Vinicius e Chiquinho; Fernando Miguel, Marabá e Wellington; Diego, Nilmar e Oséias. No ano seguinte os rubros iam a campo com Clemer, Índio, Vilson e Edinho; Bolivar, Tinga, Gavilan e Chiquinho; Diego, Fernandão e Rafael Sóbis. Em 2005 foi contratado pelo Santos que era escalado com Saulo; Paulo César, Ávalos, Luiz Alberto e Carlinhos; Zé Elias, Ricardinho e Fabinho; Diego, Giovani e Leo Lima. Em 2006 foi para o futebol catarinense defender o Figueirense que atuava com Andrey; Henrique, Chicão, Thiago Prado e Marquinhos Paraná; Rodrigo Souto, e Cícero; Diego, Schwenck e Soares. A partir de 2007 Diego iniciou uma longa peregrinação atuando no Marilia, futebol chinês, Nacional, AEL Limassol, Brasília, D.Pedro, para encerrar suas atividades esportivas no Bagé em 2020.Diego considera que Murici Ramalho, e os portugueses Pedro Caixinha e Costinha foram os melhores técnicos que teve a orientá-lo. Os melhores ponteiros direitos que viu em ação foram Fabinho e Edilson. Os melhores marcadores que enfrentou foram Índio e Luizão. O seu gol inesquecível ocorreu no jogo Inter X Boca Juniors, semi-final da Copa Sul Americana de 2004. O seu ídolo nos gramados é Ronaldo Nazário. Hoje Diego reside em Porto Alegre e tem planos continuar no meio da bola. Assim, resgatamos a história futebolística do Diego de Lima Barcelos que inegavelmente marcou presença atuando no Inter e vários clubes brasileiros e estrangeiros.

COMENTÁRIOS ()